Goetz > Blog

A Origem do Pallet

Confira nossos

Posts Recentes

Busca no Blog

Encontre pelas Tags

A Origem do Pallet

Quem inventou o palete?

Você provavelmente você nunca olhou para uma pilha de paletes e perguntou: Quem inventou isso? Dificilmente seria classificado como algum mistérios da vida, como: se existe Deus, ou quem matou Roger Rabbit?

Mas, em uma conversa com Steve Raymond, descobri que o palete tem um pai. Na verdade, ele tem dois: George Raymond e Bill House. Para a dupla, foi concedida uma patente para paletes em 07 de novembro de 1939 em nome da Lyon Iron Works, a antecessora da Raymond Corp.

Segundo Raymond, que é neto de George Sr., a história completa da invenção do palete foi perdida ao longo do tempo. O que ele sabe é que em nome de seu avô e House também foi emitida a patente da empilhadeira no mesmo dia.

Essa invenção foi uma melhoria de um manipulador de skids, que foi fabricado no início do século passado. Naquela época, Raymond diz, as obras Lyon Iron era a fundição que fazia peças fundidas em ferro, ferramentas e implementos agrícolas.

Em 1922, quando George Sênior assumiu a empresa, esse mercado estava desaparecendo. A empresa então iniciou uma mudança de peças fundidas e ferramentas agrícolas para os produtos que você identifica como equipamentos de movimentação de materiais.

Como o manipulador de skid evoluiu para uma empilhadeira com os garfos e paletes? "Eu estou supondo que havia um cliente envolvido e que pode ter sido American Can, que era um cliente muito importante para nós naquela época, ou outro cliente na indústria cervejeira", diz Raymond. "Naquela época, meu avô cresceu o negócio, desenvolvendo soluções para empresas específicas. Mas, eu não sei qual o problema que eles estavam tentando resolver, e com isso eles puseram o material para cima do palete."

Acrescenta Raymond que a tradição da família e da empresa contam que George Sênior e House desenvolveram a primeira empilhadeira e, em seguida, colocaram o palete junto. "Era um palete de dupla face, com placas de fundo para dar-lhe mais resistência", diz Raymond. "Os garfos tinham rodas sobre eles para acessar através das aberturas e elevar o palete cerca de cinco ou seis centímetros do chão. Funcionou muito bem como um transpalete que conhecemos hoje, exceto que ele era muito mais pesado."

O que aconteceu depois? Raymond não está bem certo. A suposição é que em torno da Raymond, George Sênior e House viram o palete como a coisa que iria conduzir a adoção da empilhadeira. Como tal, eles nunca tentaram ganhar dinheiro com a patente de paletes. "Temos fotos de alguns produtos que eles fizeram na época que tinham decks de madeira, mas eu não acho que eles pensaram em vender paletes", diz Raymond. Ele também consultou com uma tia – a irmã de George Sênior – que esteve envolvida no negócio e relatou que a família nunca fez qualquer dinheiro de royalties sobre o palete.

Tendo em conta os milhares de milhões de paletes que foram vendidos desde 1939, isto poderia representar um monte de dinheiro. Por outro lado, possibilitou o crescimento de uma indústria multibilionária que compete em uma base global. E, mesmo se a maioria das pessoas não dão ao palete um segundo de seu pensamento, há uma certa quantidade de orgulho na família e sua invenção. "Sempre que vemos uma pilha de paletes em torno de uma mercearia, os meus filhos acham que é legal que o seu bisavô tenha inventado isso", diz Raymond.

 

Original: Modern Material Handling, de Bob Trebilcock. Tradução: Edson Carillo

Comente!